quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O Falo de todos nós

220px-David_von_Michelangelo

"O pênis é a gargaleira poluída por onde emerge o mais obsceno dos eflúvios, o sêmen."

Começando com esse pensamento dito e escrito por Santo Agostinho venho pulverizar alguns mitos e esclarecer algumas verdades. Há muito tenho só tenho falado da mulher e de seus predicados. Tenho por obrigação também informar as amáveis companheiras de nossas virtudes.

Muito se diz que o pênis é uma extensão do caráter do homem. Tudo gira em torno dele ou por ele, depende apenas do ângulo da questão. No caso pode ser da companheira como exemplo (heheheh).

Assim como no último século vivemos a cultura da bunda e do corpo escultural da mulher, no passado no auge da ERA das guerras e dominações humanas, culturas como da Grécia, Egito e Roma respeitavam muito bem o nosso FALO.

Os gregos foram dos povos extremamentes inteligentes, os que mais sabiam usar esta cultura.

O corpo cultuado em formas de figuras como Apolo, Hércules, Aquiles, tinha suas estátuas de corpo nu para divulgar a beleza masculina.

Atletas e soldados exibiam se em exercício nas arenas com o FALO totalmente exposto, a fim de conquistar donzelas e efeminados presentes.

Nas casas e templos o FALO era peça fundamental como ornamentação e sinal de prosperidade. Na cidade de Pompéia as casas que tinha recursos financeiros, era comum exibir um sinal de FALO na porta, com objetivo de trazer mais sorte.

Parênteses ( to até agora bonzinho com o negócio do falo, daqui a pouco sai um pinto no texto, vão perdoando ai, não tenho saco pra ficar repetinfo não, ops tenho sim...).

O que pode ser engraçado, é que como sabemos nas estátuas gregas o pinto do homem de pedra era sempre diminuto. Parecia uma laranjinha com talo.

O que era válido ai não era o tamanho propriamente dito, e sim a capacidade de gerar rebentos pra posterioridade. Até ai infelizmente a mulher ainda não era motivo pra satisfação sexual. A beleza masculina imperava em todos os centros.

A mudança surgiu no século 5, com o crescimento da religião Cristã, principal religião do império Romano e, portanto nova mandatária do pedaço. As idéias de castidade e virgindade tornaram o nosso pinto um verdadeiro demônio, chamado pelas santas igrejas de VARÃO DO DEMÔNIO. ( Nem era tanto assim...).

O sexo era visto como para procriação e não exposição. Na Inglaterra de Arthur o cabra que fosse assassino pegaria prisão de 7 anos de reclusão. E os que recebiam uma chupadinha ( oral) era prisão perpetua, sem direito à masturbação. ( Como eles averiguaravam isso, não sei mesmo)

Resumindo: O cara é pego se tivesse de pinto duro seja aonde for, até mesmo com sua mulher, se essa não fosse um propósito de ter menino. O que piorava era quando o bendito do homem tivesse PM ( pomba mole), ai o couro comia. Era considerado obsceno, desvirtuado e herege, por que estaria gastando suas energias com algo que fosse imundo. No caso com efebos e putas da vida.

O clero orientava à castração com remédio final para tal doença.

P.S: Ser considerado obsceno por não levantar era de matar viu!

Falando em castrados, existe uma espécie de indivíduos especiais que foram obrigados a perder as bolinhas de gude, se quisessem servir uma causa. Dentre eles da época se destacavam os EUNUCOS ( pra mim isso é um acrônimo de: EU NUNCA, só que não podiam ter voz pra dizer).

Os eunucos serviram à guarda real tanto da China como do Oriente médio. Protegendo e resguardando imperadores e suas mulheres do harem. A sua castração tanto podia ser do saco escrotal quando ainda criança ou do pênis mesmo. Dependia do grau de instrução que esta criança fosse aprender. Quanto maior fosse o conhecimento de batalhas, táticas, cultura geral e defesa pessoal; maior seria a castração!

“Eu mesmo queria ser um burro nessa época. Em todos os sentidos....”

Além dos malucos, digo eunucos, os barítonos com seus vozeirões, eram privados também de suas bolas para alcançaram tons mais altos. ( não me admira! Também eu gritaria alto se fosse perder os meus...)

E Por fim os hijra, uma sociedade Indiana de seres que todos são castrados como opção religiosa. Ainda hoje o número cresce e já ultrapassou 1 milhão de pintos solitários, separados dos seus saquinhos quentes de dormir.

Como você ver, após 2 milênios de exibição do FALO, passamos um período amargo da história meio que escondido para não sermos detectados por mãos e mentes poluídas. Não me admira hoje estarmos tão revoltados para parecer.

A boa notícia disso tudo é que somos os únicos seres dentre todos os animais a ter o prazer totalmente controlado. Nossa ejaculação por principio ( exclua-se os rapidinhos) é feita com nossa permissão e no tempo nosso. O que não é verdade em outros animais, que tem duração apenas de segundos todo o ato sexual.

Em relação aos nossos primos primatas, a diferença é ainda maior: Os gorilas com 230 kilos e quase 2 metros de altura. Tem como pinto, uma desgraça de raminho. O tamanho médio não passa de 5 cm comprimento e sua largura é de uma caneta ou pouco maior. Nos chimpanzés aumenta apenas 2 cm, com pequena diferença no restante. Para ambos os primatas o saco é algo ridículo, não passando de duas azeitonas. Ganhamos no tamanho e na largura e na qualidade disparado!!

Isso é assim pelo fato que os primatas não terem concorrência na área. E por que a natureza colocou a vargina e bunda da fêmea tudo num canto só. ( nas costas)

O máximo que o macho faz é dar um encostadinho e pronto.

O que eles têm de vantagem é que todos os primatas com exceção dos homens possuem uma cartilagem no pênis que permite segurar a ereção por horas se quiser. A força do pênis ereto do gorila tem a força de um braço sustentando um peso de 5 kilos.

Ai, não tem como brigar não!

Quase todos os animais fora os homens, possuem algum treco de sustentação peniana chamado de báculo. Desde golfinhos aos cavalos a alguns animais invertebrados que possuem verdadeiras estacas ou pinças de sustentação.

Os únicos espécimes humanos que sustenta essa teoria é ainda um pedacinho de vida nardental incrustada na África do Sul: Os machos da tribo hotentote têm uma cartilagem dentro do pênis. Uma possível pista de que todos os exemplares humanos também a tiveram um dia. Porém, quis a evolução (e as mulheres) que essa pecinha desaparecesse.

Por isso mesmo, o FALO tem apenas 60 mil anos de evolução. Desde que a vargina resolveu escorregar pra frente, é que pudemos notar a belezura da mulher. O cara a cara nos perturbou demais.

As fêmeas aprenderam a gozar do nosso pintinho quando descoberto. Afinal, nunca sabia aonde a gente guardava aquele troço no meio do matagal todo.

Com a necessidade de não virar mais piada e motivo de tristeza feminina. O osso deu lugar a músculos poderosos, e o pênis cresceu e inchou para acomodar uma entrada que hoje além de ser mais profunda, possue uma acentuada curva que da dor na cabeça de cima pra quem não consegue sair da posição de mamãe e papai.

Por isso você que gostaria de saber nosso motivo para querer abraçar tantas companheiras, saiba que nossa autoestima vinha por muito tempo sendo colocada para baixo literalmente pela repressão religiosa.

Tenha piedade de nós! Ou do FALO

Nenhum comentário:

Postar um comentário