quarta-feira, 15 de junho de 2011

Sopor Aeternus & The Ensemble of Shadows

Falando um pouco sobre música, na verdade música extremamente underground, mas que achei bastante acessível, trata-se de um artista, ou uma artista, que atende pela alcunha de Anna-Varney Cantodea, o grupo a qual ela faz parte é Sopor Aeternus & The Ensemble of Shadows, na verdade não é bem um grupo, uma vez que Anna-Varney Cantodea canta e toca todos os instrumentos.


Que bom, agora sim uma postagem de bom gosto musical.

Sopor Aeternus & The Ensemble of Shadows é parte de um estilo musical conhecido como Dark Wave, ou darkwave, vertente musical focada na cultura gótica com letras extremamente depressivas e introspectivas. Sob audição atenta de algumas músicas, é claramente impossível não notar a qualidade instrumental apresentada nos trabalhos da banda e o vocal extremamente melancólico onde a artista Anna-Varney Cantodea canta tanto em tom grave quanto agudo, este parecendo uma histérica mulher.


Horrorizada ao ver a nova nova ministra das Relações Institucionais!

Voltando a falar um pouco das letras, por falta de tempo não me aprofundei demais no assunto, mas segundo minhas rápidas pesquisas, há um conflito de definição sexual, assim como alguns membros deste blog, revelado nas letras compostas por Anna-Varney Cantodea como nos trechos abaixo:

"I saw my image reflected, while my genitals were rotting off"
Tradução: "Vi minha imagem refletida, enquanto meus órgãos genitais estavam apodrecendo."

e

"I wish I cut my genitals and threw them to the dogs"
Tradução: "Eu queria cortar meus genitais e atirá-los aos cachorros",

assim como nas fotografias tratadas digitalmente, onde a artista mostra-se sem órgãos genitais, conforme as imagens publicadas ao longo desta matéria cretina.


Piroca ou perereca? Na dúvida não tenha nenhum porra!

O fato que mais me chamou atenção foi, sem dúvida alguma, o excelente trabalho experimental realizado nos videoclipes, feito com tamanho esmero, a produção é impecável no que tange a cultura gótica remetendo ao excelente Begotten de Edmund Elias Merhige. Finalizo aqui o artigo com o videoclipe da música "In der Palästra", música a qual tem me acompanhado nas horas de trabalho desta semana.



Fontes: Orsista, orsista e oficial


Zzzzzzzzzz...

8 comentários:

  1. Que merda, heim?

    E pior que o vídeo é introduzido como se fosse um espetáculo supremo dos vídeos mais fodas da humanindade.

    Isso é um bichooooonna das louca!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porco ignorante, analogamente não é pra agradar.

      Excluir
  2. Toda essa lixeza é marilyn manson ... e o visual da primeira foto parece com um dos caras do filme MadMax com a Tina Tanner.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. antes de tu falar qualquer coisa, pessoa sem culturta, qe seguramente escuta essas bateções de lata, vai pesquesar a história dele(a) e depois pensa antes de abrir tu pobre boca pra falar....

      Excluir
  3. Para o Aramis... o preconceito aqui fala mais alto ne? Era so o que me faltava...

    ResponderExcluir
  4. Não é preconceito, Aramis está em outro nível intelectual, o patamar é outro e muito acima em relação ao de meros ouvintes de falsetes e melancolias.

    ResponderExcluir
  5. é ... sou uma antítese entre alegria e tristeza.

    ResponderExcluir
  6. Independente se é ele ou ela, a questão é que se trata de um artista e dos melhores, e Marilyn Manson também. E os dois, como qualquer pessoa, devem ser respeitados mesmo que seus estilos sejam diferentes do comum u.u

    ResponderExcluir