sábado, 15 de novembro de 2014

Manifestação do dia 15 de novembro em São Paulo

Neste feriado da Proclamação da República, manifestações foram marcadas em cidades de todo o Brasil e este que vos escreve foi conferir a manifestação de São Paulo. O ponto de encontro foi em frente ao MASP (Museu de Arte de São Paulo) na Avenida Paulista. Deixando claro que o intuito do artigo não é manifestar minhas opiniões políticas, mas sim, compartilhar o que vi durante o trajeto.




O horário marcado foi as 14:00 hs, cheguei por volta de 14:15 hs, e já havia alguma aglomeração em frente ao MASP, haviam três carros de som, cada um de grupos diferentes, os dois primeiros estavam mais ou menos alinhados em seus ideais, o terceiro pelo que pesquisei estava pedindo intervenção militar (WTF?!), ainda bem que não vi o terceiro, pois teria dado as costas e ido embora, aliás, este foi o motivo do abandono de um dos maiores agitadores da manifestação nas redes sociais, Lobão.




Trabalhadores ao longe vibrando com a manifestação.


Como fiquei mais perto do primeiro carro de som, o discurso focou em mais democracia e fora PT, os organizadores não compactuavam com a ideia de impeachment da presidente Dilma, pois não há provas as quais comprovam que ela está envolvida nos escândalos envolvendo a Petrobrás, o chamado Petrolão, mas segundo delação premiada, Dilma sabia e Lula também, isso provocou a ira de uma senhora que berrava sua indignação.






Seguindo pela Avenida Paulista até a Avenida Brigadeiro Luís Antônio e depois indo em direção a Praça da Sé, a manifestação foi tranquila, crianças e idosos participaram da caminhada, vi duas badernas pequenas, havia pessoas xingando, mas sem saber do que se tratava, fui embora. Algumas pessoas simpatizantes a ideologia comunista balançavam suas bandeiras vermelhas das janelas de seus apartamentos e foram hostilizadas pelas pessoas nas ruas com xingamentos.


Está escrito no papel: "Bando de Alienado."


O bom humor na manifestação.






E assim foi a caminhada que durou cerca de 3 horas e meia até seu encerramento na Praça da Sé, com discursos de conservadores famosos das redes sociais, a contragosto dos pobres mendigos que não conseguiam dormir devido à barulheira causada pelos defensores da democracia.


The End.

Um comentário: